O delegado regional de Polícia Civil em Sinop, Sergio Ribeiro, confirmou que os delegados responsáveis pelas demandas das cidades de Sorriso, Sinop, Santa Carmen, Vera, Feliz Natal, União do Sul, Nova Ubiratã, Ipiranga do Norte e Itanhangá não aderiram a suspensão da jornada voluntária de trabalho. Além das 40 horas semanais o efetivo continua trabalhando cerca de 120 horas mensais a mais voluntária.

“A carga horária de todos os servidores da polícia é de 40h semanais e 160 mensais. As comarcas de Vera, Feliz Natal e Nova Ubiratã, por exemplo, não têm delegados efetivos. Em Sinop, temos um sistema de plantão mensal. Esse profissional fica à disposição 24h do Estado. Na sequência, para a delegacia não parar, eles voltam mais três semanas no expediente normal. Então nós compreendemos que é acarretado pelo menos 120 mensais a mais. Na prática, o Estado fica devendo essas horas para esses delegados”, afirmou em entrevista na central de jornalismo.

Ribeiro explicou ainda que está sendo elaborado um estudo para aplicar um plantão regionalizando para facilitar os descasados dos profissionais. “Temos é agradecer aos delegados que pertencem a nossa regional. Eles entendem que a sociedade não pode pagar por isso.  Mesmo sendo lesados, estão trabalhando e se desdobrando para atender todas as demandas. Não houve paralisação das atividades nessas dez cidades. Porém, vamos elaborar um plantão regionalizando para atender e antecipar essas reinvindicações. Principalmente nos finais de semanas para eles descansarem. É o justo. Vamos atender dentro do que for possível.  Porém, essa demanda só será resolvida com concurso público”.

Conforme já informou, 224 delegados de Polícia de Mato Grosso decidiram suspender a jornada voluntária e, desde o último dia 18 deste mês, passaram a atuar somente as 40 horas semanais previstas no estatuto, entre 13h e 19h. Metade do efetivo atua na grande Cuiabá e a outra no interior onde tem profissional respondendo por até 5 municípios.

Segundo o delegado Wagner Bassi, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia de Mato Grosso (Sindepo), “estes profissionais chegam a ficar mais de 30 dias em atuação ininterrupta, sem uma folga semanal. Ao contrário das 40 horas previstas, no interior chega a 403 horas mensais. Mas,  apesar do esforço dos profissionais da segurança pública, fazem isso voluntariamente, por compromisso a sua instituição e a sociedade mato-grossense”.