A interdição da rodovia federal por parte dos transportadores teve início, hoje, às 6h20. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Rota do Oeste, os dois sentidos da pista estão bloqueados para a passagem de caminhões e carretas com cargas. Apenas os veículos com cargas vivas, perecíveis, ambulâncias, ônibus e carros passam, seguindo orientação da mobilização nacional do manifesto.

Os trechos pontos interditados são BR-158, em Vila Rica, e BR-070, em Barra do Garças. A informação foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal

Em Sinop houve bloqueio durante a parte da tarde na altura do trevo que dá acesso a MT-220 (rodovia que liga Sinop a Juara), além de Sorriso e Barra do Garças, com longas filas de caminhões e carretas parados. Até o momento, não há confirmação se haverá retomada hoje.

“Estamos mobilizados por conta deste decreto do governo federal que aumentou a carga tributária sobre os combustíveis e automaticamente aumentou o valor do produto. Já estamos sobrecarregados de taxas, impostos, pedágios. A nossa situação está inviável. O consumo de combustível é muito alto em um veículo grande como o nosso [caminhões e carretas] e a nossa despesa somente aumenta. Não podemos pagar a conta desta situação de corrupção”, disse um dos organizadores do manifesto em Sinop.

O manifesto é de caminhoneiros e transportadores contrários ao decreto do governo federal que autorizou o aumento de impostos sobre os combustíveis e encareceu, em média, em R$ 0,46 o litro de diesel, R$ 0,41 o litro da gasolina, R$ 0,20 o etanol, na última quinta-feira (20). Com o reajuste, o frete deve ficar 4% mais caro em Mato Grosso. Também cobram aprovação do projeto de lei 528/2015, que estabelece preço mínimo para o transporte de cargas e fretes e fim do corte de verbas destinadss para a Polícia Rodoviária Federal, que reduziu atividades também na região Norte do Estado devido a corte de recursos.

A definição prévia dos pontos de interdições ocorreu entre lideranças estaduais e nacionais. Nesta segunda houve protestos em 6 Estados e um dos maiores foi no acesso ao porto em Santos (SP).