O preço do milho encerrou a semana com  baixa de 2,59%, e preço médio de R$ 11,89 /sc.  Além do grande volume de cereal disponível no  mercado, a CBOT e o dólar também fecharam em  cenário negativo. O balanço foi divulgado, esta tarde, pelo IMEA – Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária-.

Ao analisar os últimos dois leilões de milho feitos, recentemente, pela CONAB, (só no último foram 672 mil toneladas comercializadas), o instituto considera que “os leilões vêm sendo a maior ferramenta para destravar a comercialização do milho e escoar o cereal até seu destino final, além de garantir (ao menos em parte da produção) o pagamento do preço mínimo do cereal ao produtor mato-grossense, e até o momento já negociaram 6,7 milhões de toneladas nas três modalidades (Pep, Pepro e Cov)”.

A relação do frete/milho chegou ao fim da última semana com aumento de 2,32 pontos percentuais devido à baixa no preço do cereal.