Inconformados com a morosidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), representantes dos municípios de Sorriso, Ipiranga do Norte, Nova Ubiratã, Paranatinga, Itanhangá, Canarana, Gaúcha do Norte, Querência , Guarantã do Norte e Brasnorte estão se mobilizando para cobrar a conclusão da obra de pavimentação asfáltica da rodovia BR-242.

Composto por lideranças políticas, produtores rurais, empresários e representantes de classes, o grupo se reuniu nesta sexta-feira (07), no Sindicato dos Produtores Rurais de Nova Ubiratã, para a criação de uma ‘comissão permanente’ responsável em articular, junto às esferas estadual e federal, uma solução definitiva para o problema.

Conhecida nacionalmente como “Corredor Leste-Oeste”, a BR-242 é uma das mais importantes rotas de escoamento de grãos do país interligando Mato Grosso aos principais portos do Norte do país, como Miritituba no Estado do Pará e Itaqui no Maranhão.

“Nós queremos saber por que uma obra tão importante como essa ainda estar paralisada, trazendo transtornos e prejuízos à classe produtora. Hoje a safra desta região é escoada através dos portos de Santos, Paranaguá (ambos São Paulo) e Santarém (Pará). Com a conclusão da BR-242 nós teremos uma alternativa melhor que é o porto de Itaqui no Maranhão ou Miritituba no Estado do Pará”, explica o empresário do ramo imobiliário e produtor rural, Odir José Nicolodi (Caçula).

A opinião é compartilhada pelo prefeito de Nova Ubiratã, Valdenir José dos Santos. Para o gestor municipal a paralisação da obra é reflexo da ingerência por parte do governo federal.

“A impressão que temos é que o Norte de Mato Grosso está esquecido. Estamos nos organizando para mudar essa realidade e reivindicar um direito nosso, haja vista a importância desta região para o agronegócio brasileiro”, assegura.

Para o vice-prefeito de Paranatinga, Diego Darlei Roesler (Diego do Salto), além de prejuízos ao setor produtivo à precariedade da BR-242 oferece risco eminente a milhares de famílias que vivem no entorno.

“Hoje o município de Paranatinga compõe o Polo de Saúde de Rondonópolis. Com o término da obra da BR-242 nossa expectativa é firmar convênios com as cidades como Nova Ubiratã, Sorriso e Sinop reduzindo a distância percorrida trazendo mais agilidade e segurança aos munícipes, em especial aqueles que residem nos distritos e comunidades rurais”, argumenta.

Audiência Pública

A comissão permanente aprovou, por unanimidade, a realização de uma Audiência Pública marcada para este dia 28 (sexta-feira), em Nova Ubiratã.

O evento, que contará com a presença de deputados (estaduais e federais), senadores e representantes do governo federal, discutirá mecanismos para a retomada das obras.

“O primeiro passo é descobrirmos por quais motivos foi paralisada. Precisamos avaliar se é por questão política, orçamentária e/ou ambiental, sendo assim sugiro que convoquemos também os representantes dos órgãos fiscalizadores. Não podemos nos esquecer de que a força política não se sobrepõe as questões técnicas”, opinou o suplente de deputado federal e produtor rural Ederson Dal Molin (Xuxu).

Membro da Comissão permanente, o vereador Mauricio Gomes, Sorriso, defendeu a participação popular durante os ciclos de debates.

“A Audiência Pública  é a oportunidade que o cidadão tem de expressar sua opinião. Estamos tratando de um assunto que envolve milhares de famílias e nada mais justo do que ouvirmos essas pessoas. Nova Ubiratã está de parabéns por conduzir essa demanda de forma democrática e participativa”, afirma o parlamentar.

Início dos trabalhos

Nos dias 11 e 12 (terça/quarta-feira), membros da ‘comissão permanente’ viajam á Cuiabá e Brasília onde se reúnem com as principais lideranças políticas do país.

“Além de convidarmos pessoalmente essas lideranças nós vamos apresentar dados que comprovam a importância dessa obra para o Estado de Mato Grosso e para o restante do país”, aponta o prefeito de Nova Ubiratã Valdenir José dos Santos.