O padre catarinense João Heidemann chamou a atenção de católicos de Cuiabá e Mato Grosso pelo seu ativismo em defesas dos recursos hídricos. Além de se preocupar com a salvação da alma, o padre preenche a sua homilia durante as missas que ainda celebra com discurso pela defesa da salvação do planeta.

No último domingo (21), por exemplo, Heidemann reuniu os fiéis do bairro Pedra 90, em Cuiabá, para rezar a “Prece da Água”, escrita por ele há mais de dez anos. A prece é uma oração simples, que convoca as pessoas a se atentarem para problemas como desperdício e poluição.

“Ó deus senhor do Universo, permita que eu fale e reflita com o homem sobre a minha missão”, diz trecho da oração, que é escrita em primeira pessoa. ”A humanidade evoluiu na ciência e tecnologia, mas decaiu no respeito pela vida e pela fonte de vida: a água”, diz outra parte da oração.

O clérigo contou que “milita” em defesa da água desde que celebrava missas no norte de Mato Grosso. Ele explicou que, em alguns municípios já chegou a realizar um tipo de encontro com os fiéis a beira de córregos e rios para alertá-los sobre a necessidade de conversar a riqueza da água.

“Faz um ano que deixei as paróquias e vivo agora no seminário, mas, na época, quando via todo este desmatamento a minha preocupação era de conscientizar as pessoas, dessa forma o povo cria uma consciência e começa a respeitar a natureza”, contou Heidemann.

O objetivo é manter a população informada principalmente com a chegada das comemorações do Dia da Àgua, em 22 de março. O trabalho de ensino realizado pelo padre vai de encontro à proposta da Camapanha da Fraternindade da Igreja Católica deste ano, que é sobre os “Biomas Brasileiros” e a conservação do meio ambiente natural.