Todas as carretas paradas na BR-163, no Pará, em direção a Mato Grosso, foram liberadas, ontem à noite, após os serviços de manutenção realizados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) com o apoio das forças de segurança, que ordenam o tráfego na rodovia. As carretas carregadas, que aguardavam na rodovia rumo a Miritituba, também puderam prosseguir. Porém, o tráfego é liberado alternadamente em sentido único, tanto de ida quanto de volta, até que sejam concluídos os trabalhos de alargamento da pista.

O trecho que apresentava pontos de retenção foi parcialmente recuperado. As equipes do Dnit ainda trabalham para deixar a pista mais larga e executar a drenagem. De acordo com informações da assessoria de imprensa, os serviços serão definitivos no verão, com as obras de construção e pavimentação. Este trecho da BR-163 deverá ser pavimentado este ano. A meta do órgão federal é asfaltar 60 quilômetros da rodovia em 2017. A previsão de conclusão do asfaltamento da BR-163 até Miritituba é 2018.

​Com a chegada do Exército e da Polícia Rodoviária Federal, no final de semana, foi possível a execução dos serviços de manutenção pelo Dnit nos pontos de retenção verificados na BR-163/PA e BR-230/PA. Os veículos começaram a ser liberados no sentido sul (para Mato Grosso) na madrugada da última terça-feira.

Conforme Só Notícias já informou, os atoleiros em um trecho de pelo menos 50 quilômetros da rodovia federal entre o Distrito de Caracol e o município de Itaituba, no Pará, impossibilitou o tráfego de milhares de carretas, caminhões, ônibus e até veículos pequenos. Muitos caminhoneiros estavam passando fome no local por estarem parados há mais de 20 dias sem qualquer tipo de ajuda para se manterem.

Empresas e pessoas ligadas ao setor de transportes cobraram uma medida emergencial por parte do governo federal e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que seria realizado um trabalho paliativo para tirar os motoristas daquela situação.