Em 48 horas choveu em Campo Novo do Parecis, mais do que o previsto para o mês todo. Foram 310 milímetros de chuva e três mil pessoas atingidas pelo alagamento. Para verificar a situação e buscar uma solução para o problema, o governador Pedro Taques esteve no município neste domingo (12.02), acompanhado de secretários e um engenheiro do corpo técnico do Estado.

Desde o início de sábado (11.02), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar atuam junto com a Prefeitura em um plano emergencial para ajudar as famílias que não podem ficar em suas casas. “Nossas equipes estão mobilizadas para dar toda assistência à população. A Secretaria de Estado das Cidades (Secid) vai enviar engenheiros para que encontremos uma solução estrutural e não paliativa, caso contrário ano que vem teremos essa mesma situação”, disse o governador.

O bairro Jardim das Palmeiras foi o mais prejudicado. Conforme informações da Defesa Civil, o local que recebe a água pluvial daquela região, chamado de “piscinão”, não suportou e transbordou, atingindo casas, comércio e instituições. Em análise preliminar da Defesa Civil, isso se deve ao avanço da pavimentação urbana sem um sistema eficiente de drenagem da água.

“A instituição também está dando todo o suporte administrativo para que possa ser reconhecida a situação de emergência pelo Estado e o encaminhamento a Brasília, o que vai permitir a captação de recursos para ampliar essa obra que não suportou a chuva”, informou o secretário-adjunto de Proteção e Defesa Civil, Abadio José da Cunha Junior.

Uma equipe de engenheiros da Secid deve chegar a Campo Novo do Parecis no começo desta semana para fazer um estudo aprofundado da área e propor uma solução definitiva. “Claro que houve um excesso de chuva, mas é preciso preparar o bairro para impactos iguais a este ou superiores. Vamos analisar quais as contribuições de água que chegam ao bairro, se a drenagem feita é suficiente, se o chamado ‘piscinão’ tem escape. Vamos tratar o assunto com a responsabilidade que o caso requer”, garantiu o secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos.

Emergencialmente, a Prefeitura e voluntários fizeram um canal e, com apoio de uma máquina, estão fazendo a drenagem do lodo acumulado. Com isso, a maior parte das pessoas alojadas na Escola Municipal Jardim das Palmeiras retornou para suas casas. “Mas o município segue em estado de alerta, pois a chuva não deve parar tão cedo”, lembrou o prefeito Rafael Machado.

Segundo o setor de monitoramento da Defesa Civil, as precipitações só devem reduzir a partir de quinta-feira (16.02). Até lá, todos os dias devem apresentar 95% de probabilidade de chuva.