imagesO futuro do setor agrícola mundial se mostra promissor. De acordo com o estudo “Can Agribusiness Reinvent Itself to Capture the Future? / Como o agronegócio pode se reinventar para capturar o futuro?, na tradução livre”, elaborado pela Bain & Company, nos próximos 40 anos a demanda global por alimentos, fibras e agroenergia vai exigir aumento de 60% na produção mundial das principais culturas agropecuárias, sendo reservado ao Brasil o papel de ser um dos protagonistas nesta missão. Ainda, segundo o relatório, o comércio global de produtos agropecuários deverá quadruplicar no período das próximas quatro décadas.

Entretanto, o documento ressalva que não serão todos os agentes produtivos do agronegócio, leia-se empresas e em um degrau acima também países, que estarão aptos a enfrentar este desafio. Segundo o estudo, a sobrevivência em um cenário de um agronegócio cada vez mais competitivo passa pela adoção de um conjunto de oito estratégias baseadas em “cases” de sucesso desenvolvidos pela Bain. A primeira delas se refere à necessidade de definição clara de um portfólio de clientes associado ao investimento na integração da cadeia de valor e na expansão geográfica.

Como segunda estratégia, o relatório recomenda a alavancagem dos ativos proprietários, com o objetivo de potencializar vantagens competitivas no mercado, gerando diferenciação versus seus concorrentes. Adiante, o documento orienta à adoção de uma abordagem voltada ao cliente para diferenciar produtos e serviços, a partir das expectativas de quem os consome. Prosseguindo, o estudo alerta para o desafio da redução da variabilidade da produtividade das safras, pontuando o melhoramento genético e à adoção de técnicas de agricultura de precisão como tecnologias fundamentais, com vistas à obtenção de uma maior homogeneidade na produção.