Projeto acelera leilões de veículos para ‘limpar’ pátio do Detran de MT

A proposta é que após sete dias sem qualquer medida para a regularização administrativa e liberação ou retirada do veículo apreendido, a autoridade de trânsito deve informar a permanência do veículo à Comissão de Leilão para providências.

69

leilao detranTramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº100, que institui a “via rápida” para o procedimento de realização de leilão público de veículos retidos, removidos ou apreendidos em Mato Grosso.

“Já foram prensados mais de seis mil veículos somente neste ano. O Detran realiza leilão de inservível (sucatas) para veículos com mais de dois anos retidos nos pátios”, apontou a diretora de veículos do Detran.

A proposta visa acelerar o processo para ‘limpar o pátio’ do Detran-MT (Departamento Estadual de Trânsito), que acumula mais de 26 mil veículos, entre carros, motos, caminhonetes e caminhões, para serem retirados pos seus proprietários, já que grande parte abandona os veículos no local, que tem se tornado um ‘depósito de sucata’.

Para remover esses veículos abandonados, o Detran realiza leilões, esporádicamente, mas o processo é moroso.

O projeto que tramita na Assembleia é de iniciativa é do deputado Meraldo Sá (PSD), que entre janeiro e maio deste ano substituiu Gilmar Fabris no cargo.

“Os números mostram que 83% eram liberados e 17% ficavam no pátio, enquanto que, para motos, o índice aumenta para 45% retidas do pátio”, afirmou Peske.

De acordo com o parlamentar, o principal objetivo dessa iniciativa é desocupar o lotado pátio do Detran. Segundo ele, a superlotação de veículos serve como potencial criadouro de mosquitos e outros insetos, além de animais peçonhentos.

Outro fator mencionado por Meraldo Sá está direcionado ao pátio da Delegacia de Repressão a Roubo de Veículos de Cuiabá, localizada ao lado do Detran, local onde até árvores crescem no que restam de pedaços de veículos.

De acordo com informações da diretora de veículos do Detran-MT, Talita Peske, todo mês o órgão divulga relatório de veículos que entram e saem do pátio. Porém, a maioria dos veículos apreendidos no Detran está há mais de dois anos no local.

Para desafogar esse volume, a diretoria explica que o Detran contratou uma prensa para realizar o trabalho em todo o estado, conforme rota determinada pela equipe do leilão para aliviar os pátios.

detran patio“Já foram prensados mais de seis mil veículos somente neste ano. O Detran realiza leilão de inservível (sucatas) para veículos com mais de dois anos retidos nos pátios”, apontou ela.

Outro dado revelado pela diretora de veículos diz respeito aos números do Detran referentes a veículos com registro em 2015. No ano passado, chegavam mensalmente no pátio da sede do órgão cerca de 90 veículos, sendo que desse montante, apenas 60 deles eram liberados. “Os números mostram que 83% eram liberados e 17% ficavam no pátio, enquanto que, para motos, o índice aumenta para 45% retidas do pátio”, afirmou Peske.

Em 2015, o Detran leiloou 85 veículos e todos saíram do pátio, perfazendo uma arrecadação de quase R$ 300 mil. Em 2016, Peske disse que o Detran leiloou mais de 110 veículos, arrecadando R$ 405 mil para o Estado.

Consta também no projeto que os agentes de trânsito deverão preencher formulário próprio para remoção, retenção e apreensão de veículos, em papel ou eletrônico, discriminando os dados do veículo; data de remoção, retenção ou apreensão do veículo.

Para a retirada de veículos retidos no pátio, comprovada sua regularidade administrativa, deverão ser pagas as diárias referentes à permanência deles em depósito, considerando-se a quantidade de dias efetivamente verificados, até o limite de 90, vedada a cobrança fracionada ou em desacordo com sua duração.

“Passado o prazo de sete dias, contados da remoção, retenção ou apreensão do veículo, sem que qualquer providência tenha sido tomada para sua regularização administrativa e liberação ou retirada, a autoridade de trânsito deverá informar a permanência do veículo à Comissão de Leilão para providências”, informou o deputado.

Outro fator importante do projeto é o artigo 10, que propõe que o arrematante de veículo em depósito levado a leilão deverá arcar com o valor de arremate do bem, a taxa de preparação de leilão, disciplinada por lei específica sobre o tratamento tributário relativo às taxas do Poder Executivo Estadual, e a comissão do leiloeiro oficial.

Os valores arrecadados serão destinados para a Secretaria de Saúde, Secretaria de Segurança Pública, Detran, Secretaria de Educação e Secretaria de Meio Ambiente.

O projeto foi lido na sessão plenária de 10/03/2016 e incluído na Ordem do Dia para 1ª votação em 27/10/2016. Depois disso, a propositura foi analisada pelo Núcleo Econômico em 01/09 e encontra-se apto para apreciação.