Produtores querem que ferrovia Senador Vuolo chegue até Lucas do Rio Verde

Produtores alegam que Lucas do Rio Verde será um grande entroncamento ferroviário

29

ferroviaApós a sinalização positiva para a expansão da Ferrovia Senador Vicente Vuolo (antiga Ferronorte), para ligar Rondonópolis a Cuiabá, produtores integrantes da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja) afirmaram que a  expansão da ferrovia só até Cuiabá não irá resolver nada.

Edeon Vaz Ferreira, diretor executivo de movimento Pró-Logística da associação, em entrevista ao site Circuito MT, disse que quanto mais, melhor, porém o modal precisa se estender até Lucas do Rio Verde, a 282 km de Cuiabá.

“Teria que se estender até Lucas do Rio Verde, porque lá teríamos um grande entroncamento ferroviário. Lá viabilizamos a Ferrovia Centro-Oeste, que vai de Campi Norte (norte/sul) até Lucas do Rio Verde, tem a Ferrogrão que vai ligar na primeira etapa Lucas do Rio Verde a Miritituba e a segunda etapa até Sinop. No futuro, haverá um grande entroncamento ferroviário que permitiria você levar a carga para o Norte, para Santos, para o Maranhão e Nordeste”, pontuou.

Com essa expansão, a ferrovia traria emprego, trabalhadores e os municípios próximos, como Nova Mutum, Sorriso, Ipiranga seriam beneficiados pela proximidade da linha ferroviária.

“Os anéis ferroviários não são dentro da cidade, são fora da cidade, como é o caso de Rondonópolis. Somente levar a ferrovia até a capital eu não vejo grandes vantagens”, afirmou Edeon.

Atualmente, a malha ferroviária brasileira, transporta cerca de 30 milhões toneladas de produção, 14 milhões só em Mato Grosso. Com o projeto de modernização e expansão da malha, a meta é chegar a 75 milhões de toneladas transportadas, sendo que o Estado seria responsável por 25 milhões.

O Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) Blairo Maggi, em uma visita a Cuiabá disse que desconhece a nova sinalização (até Lucas do Rio Verde), pois segundo ele, ainda não teve acesso aos estudos.

“Eu não tive acesso ainda aos estudos, mas quanto mais você interiorizar as ferrovias, melhor. Quem que vai querer ser contra isso?”, analisou.

O terminal intermodal de cargas de Rondonópolis foi inaugurado em setembro de 2013. Existem outros três terminais: Alto Taquari, Alto Araguaia e Itiquira. Esta é a única ferrovia de Mato Grosso.

Segundo o Fórum Pró-Ferrovia, pelo primeiro estudo realizado, financiado pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) e Governo Federal, realizado pela Universidade de Santa Catarina, o investimento para a expansão do modal gira em torno de R$ 2,5 bilhões para trazer 280 km de ferrovia de Rondonópolis a Capital.