Irregularidades é identifica por MPF em Tapurah juntamente a outros 13 mil beneficiários do Bolsa Família em Mato Grosso

264

bolsa familiaLevantamento realizado pelo Ministério Público Federal (MPF) aponta que Mato Grosso possui atualmente 306.375 beneficiários do programa Bolsa Família. Deste total, 13.107 (ou 4,26%) foram considerados perfis suspeitos. Ou seja, são pessoas que não se enquadram nos requisitos econômicos estabelecidos pelo governo federal para recebimento do benefício.

Segundo dados do MPF, destes 13.107 investigados, 8.868 seriam empresários; 4.548 servidores públicos; 186 doadores de campanha; 121 falecidos e 57 servidores públicos e doadores de campanha. O levantamento levou em consideração o período de 2013 a maio de 2016. O governo pagou a estes 13 mil perfis suspeitos R$ 44,9 milhões.

As irregularidades foram constatadas em Cuiabá, Araguainha, Planalto da Serra, Santa Rita do Trivelato, Santa Cruz do Xingu, Rondolândia, Tapurah, Campos de Júlio, Canabrava do Norte, Novo Santo Antônio, General Carneiro, Itiquira, São Félix do Araguaia, Nobres, Marcelândia, Salto do Céu, Primavera do Leste, São José do Povo, Conquista d`Oeste e Pontes e Lacerda.

Mato Grosso ocupa a 12ª colocação na lista com o maior número de perfis suspeitos. Perde para Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Ceará, Rio Grande do Sul, Paraíba, Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo.

Em todo o país são investigados 870 mil casos. O MPF expediu recomendações a 4.703 prefeituras para que realizem visitas domiciliares para comprovação dos dados. Segundo o levantamento, projeto de iniciativa do MPF, de 2013 a maio de 2016, os pagamentos a perfis suspeitos de irregularidades totalizam mais de R$ 3,3 bilhões.