avalia (Small)O nível de aprendizado dos estudantes da rede estadual de ensino tem sido avaliado desde terça até hoje, quarta-feira (29 e 30.03). A Avaliação Diagnóstica do Ensino Público do Estado de Mato Grosso (Avalia-MT), que objetiva construir mecanismos de intervenções na educação com base em índices próprios, será realizada com 163.214 alunos do 2º, 4º; 6º e 8º anos do Ensino Fundamental e 1º e 2º anos do Ensino Médio.

A Escola Estadual Cândido Portinari de Tapurah entre outras escolas estaduais desta região participam deste projeto. Ao todo participam da iniciativa 469 escolas estaduais urbanas, 12 de educação do campo e duas unidades quilombolas. Os resultados da avaliação em larga escala fornecerão subsídios para a tomada de decisões destinadas a melhorias no sistema de ensino e nas escolas. Além disso, permitirá que a Seduc acompanhe o desenvolvimento das redes e sistemas de ensino e desenvolva ações de formação e desenvolvimento profissional dos servidores.

“Vamos fazer um diagnóstico junto aos nossos alunos. O Avalia-MT será um instrumento para conhecer o nível de aprendizado e a proficiência, e a partir desses dados teremos uma orientação para que as políticas pedagógicas sejam implementadas. Trata-se de uma oportunidade de conhecer nossos próprios índices, sem depender de dados de avaliações realizadas pelo governo federal”, destacou o secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer Permínio Pinto.

De acordo com ele, o trabalho será na perspectiva de equalizar distorções entre as unidades escolas, mas sem realizar ranqueamento.

Parceria

O processo avaliativo será feito em parceria com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora, referência no país nesse trabalho e atuante em 19 estados, incluindo Mato Grosso. A instituição tem procurado desenvolver seus próprios sistemas de avaliação estabelecendo metas e diretrizes específicas às suas realidades.

Durante o lançamento do programa no início deste mês, em Cuiabá, a representante do CAEd, Josiane Toledo Ferreira Silva, ressaltou a importância da parceria com o governo do Estado. “É uma ação muito relevante que servirá para monitorar a qualidade educacional, mas também para a execução de políticas públicas voltadas para melhorar essa qualidade de ensino. O objetivo é garantir o direito de aprender que toda criança, todo jovem tem. Cabe ao professor conhecer e criar condições para que o estudante absorva esse aprendizado, portanto a formação dos professores vai influenciar no processo”, explicou.

Ao todo, o Governo do Estado investirá aproximadamente R$ 3,7 milhões, ou seja, cerca de R$ 22,71 por aluno para a realização de todo o processo avaliativo.

A avaliação

A prova será objetiva, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, e verificará a aprendizagem dos alunos sobre as capacidades de leitura, escrita, interpretação, análise e resolução de problemas matemáticos. As questões são de múltipla escolha, com base na construção da matriz curricular de referência.

Com duas horas de duração, a avaliação é baseada na Teoria de Resposta ao Item (TRI) que leva em consideração diferentes variáveis da complexidade de cada questão da prova, para melhor avaliação do estudante. O modelo foca na questão e não na totalidade dos acertos, não se considera apenas o certo e o errado sobretudo, o grau de dificuldade de cada item.

Viviane Saggin
Assessoria Seduc-MT