O aplicativo foi apresentado no lançamento da Operação de Combate ao Mosquito, que aconteceu na manhã desta terça-feira (29), no Plenário Renê Barbour


xo_aedesA população de Mato Grosso agora tem mais uma ferramenta no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre chikungunya e zika. Trata-se do “Xô Aedes”, um aplicativo para celular com sistema Android, que já está disponível gratuitamente pelo Google Play e, em breve, pela plataforma IOS. Com ele, as pessoas podem fazer denúncias, fotografando locais com focos de reprodução do mosquito.

O aplicativo foi apresentado durante o lançamento da campanha de Operação de Combate ao Mosquito, que aconteceu na manhã desta terça-feira (29), no Plenário Renê Barbour. O supervisor executivo de imprensa da Secretaria de Comunicação da Assembleia Legislativa, Cláudio de Oliveira Alves, explicou passo a passo como o aplicativo funciona.

Conforme o supervisor, após baixar o aplicativo, o cidadão faz um cadastro adicionando um email e um número de celular. Na sequência, escolhe um dos seis tipos de ocorrência: água acumulada, entulho de demolição, foco do mosquito Aedes aegypti, lixo acumulado, reservatório descoberto com água parada ou terreno baldio sem manutenção.

“Depois é só anexar a foto e endereço do local da ocorrência. A pessoa ainda pode fazer comentários sobre a situação e gravar as informações que o próprio sistema gera automaticamente a informação da localização”, declarou.

Cláudio destacou que todas as denúncias podem ser visualizadas a qualquer momento pelo http://esusatendsaude.com.br. Ele justificou o fato do APP não permitir buscar fotos da galeria do próprio celular.

“A necessidade de se fazer a foto pelo aplicativo é que lá conseguimos obter as coordenadas geográficas de latitude e longitude do endereço da foto, tendo a localização exata, o que facilita o mapeamento e a apuração da denúncia”, argumentou.

Durante o evento, o governo do estado assinou um termo de cooperação técnica junto à Assembleia Legislativa, permitindo que a Defesa Civil gerencie em Mato Grosso todas as informações obtidas por meio das denúncias.

O superintendente da Defesa Civil, tenente-coronel Abadio da Cunha Júnior, afirmou que até o final desta semana cinco agentes da Defesa Civil já estarão capacitados para gerenciar as ocorrências feitas por meio do “Xô Aedes”.

“Teremos também as campanhas de mídia para divulgar o aplicativo e incentivar a população participar desse combate. Faremos um trabalho junto às prefeituras para que adotem essa ferramenta e sejam parceiros”, destacou o coronel Cunha.

Para o superintendente, a iniciativa da Assembleia Legislativa vai promover agilidade na apuração dos casos. “A Casa de Leis mostra que é um dever de todos combater o mosquito. É importante o envolvimento de um poder político, que tem uma capilaridade maior junto à população, principalmente os deputados, que mantêm suas bases nos municípios e têm facilidade de chegar até a ponta”.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, apontou que a maior vantagem do aplicativo será o envolvimento da sociedade na campanha de combate ao Aedes.

“A AMM vai trabalhar no sentido trazer as prefeituras para essa parceria junto à Assembleia Legislativa para que esse aplicativo seja utilizado pela população que vai mostrar para as autoridades locais, do seu município, onde tem um possível foco do mosquito”, conclui.

Fonte: Al Mt/Secretaria de Comunicação